domingo, 24 de abril de 2016

Qual a diferença?


Hoje o assunto é sal!
Existem muitas variedades, mas aqui nós vamos focar em tipos, que são mais utilizados. 


Sal refinado

É o sal grosso que foi moído e refinado. O que isso significa?
O refinamento é adicionar substâncias químicas para torná-lo mais branco e fino, a aparência fica melhor, mas o valor nutritivo não.
Nesse sal é necessário adição de iodo, pois, não possui naturalmente.
Esse sal é extraído da evaporação da água do mar.
Tem uma alta concentração de sódio e pode ser encontrado facilmente, por um preço super acessível.

Sal marinho

Tem essa aparência mais juntinha. É um sal natural, que não sofre mudanças nem adições químicas ao longo da fabricação.
Ele contem iodo naturalmente, e inúmeros sais minerais, o que o torna mais nutritivo e saudável.
Esse tipo de sal é extraído de minas subterrâneas.
Ele é vendido na forma de sal grosso, custando em torno de R$23,00 o quilo
E em forma de refinado à mais ou menos R$6,00 o quilo.

Sal do Himalaia

O sal do Himalaia virou uma febre nos últimos meses. 
Ele é retirado dos pés da montanha que um dia foi banhada pelo mar. Sua cor rosada se dá devido a presença de ferro e manganês, ele contem outros sais minerais que o tornam mais puro que o refinado. E o mais importante: tem 50% menos sódio que o sal refinado!
Ele é bem caro, custa em torno de 40 reis o quilo... Mas pode variar muito de um lugar para outro, vale a pena pesquisar e experimentar. 

Flor de sal

Esse é considerado um condimento gourmet. Apesar de ter essa aparência craquelada, ele é mais frágil que o sal grosso.
É considerado o sal mais puro que existe, pois, não passa por nenhum processo industrial e até sua retirada é artesanal.
É mais usado na finalização de pratos, tanto doces, quanto salgados.
Esse é o mais caro da lista, tendo um preço de aproximadamente R$25,00 cada 350gr



Já visitou nossas páginas hoje?
Face: Entre Panelas e Amigos
Instagram: Entre Panelas e Amigos



domingo, 27 de março de 2016

Qual a diferença?



Esse dois nomes confundem muita gente e muitos não sabem diferenciá-los.
A diferença é bem simples e fácil de ser entendida!

Vegan: 

Não é um dieta, apesar de mutos acharem. É uma filosofia de vida. As pessoas que seguem essa filosofia optem por não consumir, nem usar nenhum produto de origem animal, ou que tenham sido testado em animais.

Não é só na alimentação que conta! São nas roupas, utensílios, desde a fabricação até a venda do produto. Não existem subcategorias, só vegan.

Vegetariano:

Os vegetarianos excluem produtos alimentícios que provocam sofrimento animal.
Não se alimentam de carnes, mas podem ou não consumir outros produtos de origem animal. Aqui existem subcategorias:
  • Ovo-vegetariano: Não comem carnes, mas consomem ovos.
  • Lacto-vegetarianos: Não consomem carnes, mas consomem lacticínios.
  • Ovo-lacto-vegetarianos: Não consomem carnes, mas consomes ovo e lacticínios.




Já nos seguem em nossas redes sociais?






quarta-feira, 2 de março de 2016

Como surgiu? Parte V


Surgiu no século XIX em Nova York. Há duas versões sobre a origem e ambas se passam no Mon´s Lake House Restaurant.

A primeira versão diz que Kate, uma cozinheira assistente, estava fritando roscas, quando acidentalmente jogou uma casca de batata na frigideira. O cozinheiro chef George Crumb provou  aprovou seu "descuido"

A segunda versão conta que um freguês reclamou com o chef, dizendo que suas batatas não estavam crocantes o suficiente. O Chef trocou o prato do cliente, que novamente reclamou. Para se vingar do cliente, Crumb cortou as batatas finas como papel passou, passou na água fria e fritou até ficarem duras.
O tiro "saiu pela culatra", pois, o cliente adorou as batatas e pediu mais!




Sigam nossas redes sociais:


domingo, 28 de fevereiro de 2016

Qual a diferença?


Diariamente nos deparamos com ambos os produtos, querendo incluí-los nas nossas dietas, mas você sabe a diferença entre eles? Então vamos lá!





Light: Significa redução.
Todo produto Light deve ter pelo menos 25% a menos de um ingrediente quando comparado ao original, que pode ser: sódio, açúcar, gordura. 





Diet: Significa isento.
Todo produto diet deve ser isento de um ingrediente. É um produto específico, ou seja, se é diet de açúcar, pode ser consumido por quem é diabético. Se é diet de sódio, pode ser consumido por hipertensos.


Devemos ter muito cuidado ao escolher ambos produtos. Olhar o rótulo é fundamental! Pois, pode ser diet ou light de um ingrediente, porém os outros ingrediente podem ser iguais ou até maiores que o do produto original. Então, vale a pena dar aquela conferida no rótulo!

Tá com dúvida sobre rótulos? É só clicar AQUI


Sigam nossas redes sociais e confiram nossas dicas:





quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Como surgiu? Parte IV

Ninguém sabe ao certo como surgiu a combinação de pão, salsicha e ketchp.... Mas a mais antiga história de 1852 é de que um açougueiro de Frankfurt, na Alemanha decidiu batizar as salsichas que preparava, com a raça do seu cão "Dachshund sausage".


A invenção fez sucesso, então em 1906, Harry Mosley Stevens resolveu vendê-las quentinhas, dentro de um pão para quem fosse assistir aos jogos. Não demorou a se popularizar e ganhar o nome: Hot-Dog





Sigam nossas redes sociais!




quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Como surgiu? Parte III


Nem todo mundo que prova um pastel de feira sabe que sua origem vem dos tradicionais rolinhos primaveras.

Durante uma viagem ao Oriente, no início do milênio, os jesuítas levaram receitas secretas à Portugal. Na volta eles mudaram os ingredientes e o transformaram em um quitute doce, feito com ovo e recheio de amêndoas. Por esse motivo Pastelaria, significa doceria em Portugal.
Mais tarde, quando os portugueses começaram a colonizar a América do sul, surgiram adaptações da receita, com vertentes salgadas.



Sigam nossas redes sociais e acompanhem nossas dicas:

Face: Entre Panelas e Amigos
Instagram: Entre Panelas e Amigos

domingo, 31 de janeiro de 2016

Qual a diferença?

Aguardente:

É o nome de qualquer bebida obtida a partir da fermentação de vegetais doces. Tem entre 38 e 54% de graduação alcoólica.

Cachaça:

A cachaça de alambique é um destilado refinado. A fabricação da bebida é colhida, moída e em seguida fermentada. Depois de fermentada é destilado para elevar o teor alcoólico. Para finalizar a produção, o envelhecimento é feito em barril de madeira. E é durante o envelhecimento que se aprimora a qualidade de sabor e aroma da bebida.
tem entre 38 e 48% de graduação alcoólica.
Sendo assim, toda cachaça é uma aguardente de cana, mas nem toda aguardente é uma cachaça.


Pinga:


Não é uma bebida produzida em alambique, mas sim em indústrias. É feito a partir da garapa e caldo de cana fermentado. Durante o processo de destilação o vapor se condensa aos pingos, isso explica a origem do nome. Tem cheiro mais forte e teor alcoólico varia de acordo com a marca.



Curiosidade:

"Em meados dos anos 1600, a produção e a comercialização de cachaça foram proibidas pela Coroa Portuguesa. O motivo era a concorrência que ela estava fazendo com os vinhos portugueses e com a bagaceira (destilado português feito da casca da uva). Com a proibição, vários alambiques começaram a vender cachaça clandestinamente com outros nomes. Daí surgiram novos vocábulos e expressões para denomina a cachaça e enganar os portugueses: pinga, branquinha, água que passarinho não bebe, incha pé, entre outros"




Sigam nossas redes sociais e acompanhem nossas dicas:

Face: Entre Panelas e Amigos
Instagram: Entre Panelas e Amigos